Médico diagnostica envenenamento com a ajuda do seriado "House"

CEDUF | Centro de Educação Profissional

Médico diagnostica envenenamento com a ajuda do seriado "House"

Duas publicações científicas de prestígio publicaram recentemente estudos de caso envolvendo o mesmo diagnóstico.

house

Em um dos relatos, os médicos só chegaram a uma conclusão depois que a paciente, uma mulher de meia-idade, ficou tão doente que precisou de um transplante de coração. Já no outro, um médico que leciona na Universidade de Marburg, na Alemanha, encontrou todas as pistas que levavam ao diagnóstico no episódio 11, da 7º temporada do seriado "House", exibido no Brasil no canal "Universal Channel."

O médico descobriu que o controverso personagem Gregory House, inspirado no lendário detetive Sherlock Holmes, usou suas habilidades para diagnosticar a mesma doença de que seu paciente sofria. O episódio, interpretado pela atriz Candice Bergen, foi ao ar pela primeira vez em 2011.

O caso, publicado no periódico médico "The Lancet", mostra o sofrimento de um homem na Alemanha que foi de médico em médico à procura de um diagnóstico enquanto seu quadro clínico piorava.Segundo o artigo, os problemas desse homem começaram mais ou menos há três anos. Ele tinha hormônios tiroidianos abaixo do normal, inflamação do esôfago e febre de origem desconhecida. Sua visão e audição estavam severamente comprometidas. Mas o mais perigoso de tudo é que seu coração estava tão fraco que ele não conseguia bombear sangue o suficiente para o corpo.

A insuficiência cardíaca na maioria das vezes é uma consequência da doença arterial coronariana, mas as artérias desse homem eram saudáveis. Nenhum médico entendia o motivo.

Até que em maio de 2012, o homem chegou à Universidade de Marburg, clínica dirigida pelo doutor Juergen R. Schaefer, médico especializado em resolver casos complicados, não por acaso um fã de "House." De fato, o doutor Schaefer usa "House" em suas aulas e percebeu que esse paciente tinha sintomas muito similares aos da senhorita Bergen na série. No episódio, ela também sofria de insuficiência cardíaca. E qual foi o diagnóstico do médico Gregory House?

Envenamento por cobalto por um implante no quadril. O paciente de Schaefer teve um implante artificial de cerâmica substituído por um de metal em 2010. Logo depois, seus sintomas começaram. Influenciado por "House", Schaeffer, então, testou os níveis de cobalto em seu paciente e descobriu que o nível do metal no sangue estava centenas de vezes mais alto que o considerado normal.

Um exame mostrou que o metal em seu quadril estava corroído. A razão, especulou Schaefer, eram possíveis pedaços de cerâmica remanescentes do implante anterior. Essas partículas, disse Schaefer, agiram como lixas que corroeram o implante: "Você destrói o metal em cada movimento".

O homem, então, teve o seu quadril de metal substituído por outro de cerâmica e logo depois os níveis de cobalto em seu sangue diminuíram. Mas, embora o seu coração tivesse voltado a bombear sangue, ele precisou implantar um desfibrilador. Sua febre e problemas no esôfago desapareceram. Sua audição e visão também não melhoraram muito.

Desnecessário dizer que os médicos da mulher que precisou de transplante, publicados no "The New England Journal of Medicina", não viram o mesmo episódio de "House."

O CASO SEM "HOUSE" - A paciente, uma mulher de Denver, que pediu para não ser identificada, disse que começou a ficar doente em uma viagem para o Havaí há alguns anos.

"Eu me sentia cansada o tempo todo", disse. Ela voltou da viagem e descobriu que tinha ganhado 10 quilos sem motivo aparente. Seu abdômen estava inchado, assim como seus braços e pernas.

Seu médico pediu uma tomografia computadorizada, que mostrou fluido acumulado ao redor do seu coração. Ele retirou o fluido, mas ela ainda se sentia doente. Normalmente, em um caso como esse, os pacientes têm o coração inchado. O dela, entretanto, tinha um tamanho normal. "Foi uma espécie de quebra-cabeça para o meu primeiro cardiologista ", disse.

Em 2011, seu coração estava falhando. Ela foi para o Campus Medical Anschutz, da Universidade de Colorado, Denver, e o médico dela, Larry A. Allen, especialista em insuficiência cardíaca e transplantes, confessou que estava confuso.

Em setembro daquele ano, ela fez um transplante de coração. Certo tempo depois, o ortopedista que substituiu seus quadris com implantes metálicos fez alguns exames de rotina e descobriu algo curioso: o nível de cobalto em seu sangue estava 300 vezes acima do normal. Envenenamento por cobalto pode danificar os órgãos, principalmente o coração. A causa dos problemas estava evidente.

Cerca de um ano depois de seu transplante de coração, ambos os quadris artificiais foram substituídos por outros com revestimento de polietileno. Apesar de um pós-operatório difícil, o nível de cobalto diminuiu. "Eu recuperei a minha energia ", disse ela em uma entrevista.

Em artigo descrevendo o caso, Allen e seus colegas escreveram que o envenenamento por cobalto foi descrito pela primeira vez na década de 1960 em pessoas que beberam cerveja contaminada. Mas a relação entre os implantes levanta perguntas, questionaram. A paciente não tinha nada de errado com o quadril artificial. "Centenas de pessoas convivem com esses implantes sem os mesmos problemas que ela teve", diz.

A doutora Allen diz, entretanto, que o caso de sua paciente foi como uma lembrança para a severidade desse tipo de envenenamento. Embora rara, é algo para se considerar quando pessoas com esse tipo de implante apresentam sintomas similares aos já descritos na literatura médica. E sim, ele disse, se tivesse visto o episódio do Dr. Gregory House, ele teria considerado o envenenamento como um possível diagnóstico. "Infelizmente", disse ele, "só vi dois episódios de 'House' pela metade."

Fonte: Portal da Enfermagem

Voltar


Curso Técnico em Radiologia


NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e receba todas as novidades no seu email.

Desenvolvido por danielfarias.net
Topo